Fechar

relógio de sol

Ponte de Lima, 2017

Perante a diversidade dos percursos pedagógicos que atravessam intensamente a Quinta de Pentieiros, o relógio de sol pretende alongar o tempo e criar um momento de pausa.
Ocupando o formato circular de um antigo picadeiro, o relógio de sol implanta-se num ponto central do quotidiano da quinta, procurando ser um espaço que, pelo seu carácter aberto e forma simples, proporcione descanso, reunião e recreio. Como uma reminiscência programática, esta nova construção pretende representar as tradicionais eiras agrícolas.
Este relógio de sol não tem marcação do tempo, nem gnómon, consiste num espaço colectivo, um terreiro limpo, em pavimento de betonilha fina. As marcações horárias foram construídas na perfuração em formato de elipse, durante a actividade criativa de dia 1 de Junho, e o ponteiro é a pessoa que usa o relógio.
Numa altura em que se tem vindo a debater a mistura e a contradição existente nos espaços rurais, e se instala a dúvida da subsistência de um estilo de vida rural, a materialidade e a fragilidade construtiva do relógio proposto procuram salientar a actual proximidade entre a vida na cidade e a vida no campo.

Dados técnicos

  • localização: Quinta de Pentieiros, Ponte de Lima
  • projecto: sundial
  • equipa: Catarina Ribeiro, Vitório Leite, Francisco Pereira, Rita Serra e Silva
  • organização: Desencaminharte - Festival de arte pública no Alto Minho
  • construção: Rústico e Vertical, lda