Fechar

biblioteca e museu do brinquedo

Torres Vedras, 2016

Nos últimos anos, as instituições e os equipamentos vêm tentando reinventar-se e adaptar-se às novas sociabilidades, que vivemos hoje.
Partindo de uma estrutura quadrangular, pretendeu-se criar um espaço flexível, que desse continuidade a esta reforma e ocupasse o vazio criado pelo desaparecimento da antiga fábrica da Casa Hipólito.
Como uma massa dinâmica e calma, que se funde com o entorno, pretendia-se que o novo edifício funcionasse como uma rastilho que levasse à atração de visitantes e deixasse compreender a estranheza do vazio urbano que iria ocupar.
Dividindo-se em dois pisos, dois programas e duas materialidades, a proposta relaciona-se com o piso da rua, através do seu programa público e de uma fachada envidraçada. E volta-se para o interior, no piso superior, onde se vão localizar as zonas técnicas e administrativas, revestidas por uma fachada de textura rebocada, semelhante à que se espalha pelos edifícios do centro histórico de Torres Vedras.

Dados técnicos

  • local: Torres Vedras
  • concurso: biblioteca municipal e museu do brinquedo
  • organizador: Câmara Municipal de Torres Vedras e OASRS
  • equipa: Catarina Ribeiro, Vitório Leite, Francisco Pereira, Rita Serra e Silva, Eduarda Vieira
  • engenharia: Sopsec, SA
  • área: 7000 m2
axonometria geral
planta | piso 0
planta | piso 1
corte longitudinal
axonometria | museu do brinquedo